Preventivo: 5 minutos essenciais


11 de setembro de 2019
às 17:51

Muita gente ainda tem dúvida sobre o exame preventivo ou também chamado de Papanicolau. Criado em 1928 pelo médico grego George Papanicolaou (1883-1962), o exame ainda hoje é considerado a forma mais simples e eficaz de prevenir o câncer do colo uterino. Mas e aí, você sabe da sua importância? Já conversou com o seu médico sobre isso? Se ainda não, é hora de começarmos a falar sobre o assunto! 😉

Quem deve fazer?

O Ministério da Saúde segue as diretrizes brasileiras e orienta que o exame preventivo do câncer do colo uterino seja realizado todo ano em mulheres de 25 a 64 anos. Estando o exame normal, as novas coletas podem ser feitas a cada 3 anos. No entanto, os ginecologistas costumam realizar esse exame logo no início da vida sexual da mulher para possibilitar um melhor acompanhamento da paciente. Caso venha alguma alteração no resultado, o médico já sabe que muitas vezes o quadro pode ser revertido sozinho, mas acompanhará mais de perto.

Como é feito?

Durante a consulta, o médico introduz no canal vaginal um instrumento chamado espéculo, que lembra muito um “bico de pato”. Hoje em dia, a maioria dos serviços utiliza a versão de plástico que já vem lubrificada e é descartável. Com o auxílio de uma “escovinha”, ele realiza a coleta do material do colo do útero para encaminhar ao laboratório. Mas não se preocupe! É um procedimento ambulatorial simples que dura em torno de 5 minutos, no qual é comum sentir apenas um leve incômodo durante a coleta.

Instrumento descartável de plástico para exame preventivo ou Papanicolau.
 
Reprodução: Permed / Espéculo vaginal.

Por que fazer?

O câncer de colo uterino tem uma progressão lenta, sendo possível através do preventivo detectar lesões iniciais que podem ser tratadas antes de virarem câncer.

Instrumento descartável de plástico para exame preventivo ou Papanicolau.
 
Reprodução: Mundo Educação / Colo do útero.

Praticamente toda lesão no colo do útero que pode vir a ser um câncer, vem de uma infecção causada pelo vírus HPV (Papilomavírus Humano), transmitido pela relação sexual. Para evitar a sua contaminação, é essencial o uso da camisinha e a vacinação contra o HPV. Recomenda-se duas doses da vacina quadrivalente contra o HPV para meninos e meninas com idade entre 9 a 15 anos e três doses para homens e mulheres com idade acima de 15 anos. Infelizmente o SUS não disponibiliza a vacina para pessoas acima de 15 anos, sendo necessário recorrer à clínicas particulares nesse caso. Vacine-se! 😊

Procure o seu médico e esteja sempre em dia com a sua saúde. Cuide-se! Para dúvidas e sugestões de novos posts, escreva para a gente. Um beijo! 😘

Este post não é um publieditorial.

Atenciosamente,
Equipe do SG

Postado por Fabiana
Médica residente do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da UFRJ.

Esses posts têm tudo a ver!